Felicidade

Quarta-feira , 28 de Julho às 15h33

E u me sentia estranha. Um calor anormal percorria meu corpo, juntamente de uma sensação eufórica que me confundia e alegrava ao mesmo tempo. Meus pés saíam do chão em um ritmo que me deixava ofegante rapidamente, mas mesmo assim eu não parava. Percebi a luz alaranjada transmitida pelo sol poente, e aquilo me divertiu ainda mais. Não sabia exatamente que sentimento era aquele, mas era bom e revigorante. Havia muito tempo que eu não saía de casa e ficava apenas em minha cama, desfrutando de bons livros e trabalhando em projetos que, de algum modo, garantiriam um futuro brilhante para mim. A verdade é que eu não me importava com o lazer pois, na minha opinião, ele possuía o mesmo significado de “perda de tempo”. Mas é porque eu nunca havia sentido o que eu senti naquele dia, nunca havia estado envolvida em uma sensação alucinante como aquela, que me fazia querer pular e, de fato, eu pulava! Até hoje não entendi bem o porquê de estar pulando, mas eu sabia que meus pés saíam do chão com facilidade e deslizavam no ar para, logo em seguida, voltarem ao chão. A garota ao meu lado que, diga-se de passagem, não me lembro o nome, ria loucamente da situação, enquanto tentava agarrar minha mão cada vez que nos erguíamos no ar, em uma brincadeira estúpida. Mas seu riso me contagiou. Sim, risos contagiam. E aquele, então? Uau! Ela era uma criança. Uma criança de cabelos loiros e mente inocente que estava se divertindo ao lado de uma mulher adulta e chata. Como ela conseguia? Bem, eu ainda não descobri. Mas hoje sou uma pessoa nova. Talvez eu não tenha mudado meus hábitos e manias e, talvez, só talvez, eu não volte a viver uma situação maravilhosa como esta. Mas de uma coisa eu posso ter certeza: eu descobri, da melhor maneira possível, o que hoje nomeiam de felicidade.


Escrito por Letícia Lemos




when I'm kissin' you

Terça-feira , 27 de Julho às 16h53

O  céu estava em seu tom mais negro, mas nada parecia escuro, pois as luzes curvavam-se à nós como holofotes e as estrelas pareciam aplaudir a cena. Tudo estava silencioso, mas eu podia ouvir uma bonita música tocando em minha mente. "Time stops like everything around me is frozen (o tempo para como se tudo em volta de mim estivesse congelando)" diz a música, e eu sinto como se o momento fosse mesmo perfeito para ela. Sinto seus braços me envolvendo e sua mão tocando minha cintura, enquanto nos balançamos de um lado pro outro em passos sincronizados. O vento soprava com intensidade, mas eu me sentia mais quente do que nunca. Não havia ninguém ao nosso redor, mas mesmo assim não nos sentíamos sozinhos, pois tínhamos um ao outro. Sua cabeça encostava na minha gentilmente e, no meio da noite, eu pude ver um sorriso em seus lábios, que me fez desejar, mais do que nunca, que o tempo parasse naquele momento maravilhoso. "... and nothing matters but these few moments when you'd open my mind to things I've never seen (e nada mais importa a não ser esses poucos momentos em que você abriu minha mente para coisas que eu nunca vi)", cantarolava a música em minha mente. Foi aí que ele soltou seus braços, parando totalmente com a dança que fazíamos até então e, por um segundo desesperador, eu achei que tivesse feito algo errado. Mas então ele passou a mão em meus cabelos sutilmente e voltou a me envolver em seus braços, dessa vez surpreendendo-me com um beijo apaixonado. "'Cause when I'm kissin' you my senses come alive (porque quando eu beijo você os meus sentidos ganham vida)", tocou a música e então meus olhos se fecharam e minha mente ficou vazia. Todos os meus problemas pareceram desaparecer e eu me senti bem, de um modo que eu jamais me sentira antes.


Escrito por Letícia Lemos




Amor verdadeiro

Quarta-feira , 21 de Julho às 13h24

V árias pessoas passam a vida inteira em busca de seu amor verdadeiro, aquele que lhe garantirá só momentos felizes e vai estar do seu lado para todo o sempre. Eu não creio nisso. Quero dizer, eu realmente acredito na existência de um amor verdadeiro, mas não creio que é assim que há de ser. E meu motivo é bem óbvio: pra mim, não existe somente um amor verdadeiro. É exatamente isso que eu penso, porque o amor verdadeiro não significa amor eterno, não significa apenas momentos felizes. Pra mim, o tal amor verdadeiro significa apenas um relacionamento bom e saudável, onde todos saem ganhando; um amor inexplicável que, na hora, você pode até pensar que será para sempre mas, na maior parte das vezes, nunca é. É aquele onde ambas as partes se amam intensamente de corpo e alma, sem precisar de nenhum motivo especial pra isso. Se amam apenas por existirem e por se fazerem tão maravilhosamente bem. Passam momentos inesquecíveis juntos, mas nem tudo são flores: amores verdadeiros também tem seus momentos ruins de brigas e discussões. E, amores verdadeiros também acabam. Mas não significa que só porque acabam que não são verdadeiros. Quando o relacionamento dos dois acaba e o sentimento forte se esvai, isso em momento algum significará um fim total do amor e dos momentos que passaram juntos, pois o que é verdadeiro vai marcar, vai ficar para sempre na memória... o fim somente lhe liberta para se sentir novamente feliz, desta vez do lado de outra pessoa, que talvez seja seu próximo amor verdadeiro. Eu já encontrei meu amor uma vez e ele se foi, porque é assim que acontece. Nada é pra sempre, mas dura com uma intensidade gratificante e posso dizer que sim, já amei verdadeiramente e, amém, tambem fui amada :D


Escrito por Letícia Lemos




Poema: Brigas

Terça-feira , 13 de Julho às 22h14

Não sei mais o que fazer

Se tudo que você quer é brigar

Eu não consigo te entender

E já parei de tentar

 

Você fala comigo

Como se fosse perfeito

Mas não, meu querido

Você também tem defeito

(Letícia Lemos) :D


Escrito por Letícia Lemos




Confiança

às 16h33

T alvez eu não te sorria do modo que você está acostumado que as pessoas lhe sorriam. Meus olhos talvez não sejam os mais profundos e não te deem aquela certeza a qual você sempre quer ter acesso. Minhas palavras, por mais doces que sejam, nem sempre te consolam da maneira que você deseja. E talvez meu jeito não se encaixe nos jeitos que você gosta. Mas eu te garanto que sou uma pessoa boa. Sim, talvez não tão boa a ponto de estar certa o tempo inteiro, mas boa do tipo que realmente me importo com você. É, eu me importo. E, do que interessa se eu não lhe digo isso? As melhores coisas geralmente não podem ser ditas. São simplesmente sentidas e, dentro de um certo limite, demonstradas. Então eu vou te pedir uma coisa: segure minha mão. Pode ser que eu não consiga te levar ao País das Maravilhas, e sim à um beco sujo e sem saída. Mas eu te garanto que, independente do lugar, eu estarei ali, do seu lado. Estarei te ajudando e sorrindo, ou até mesmo sofrendo com você. Mas estarei ali. Se você quer alguém que te diga as coisas mais confortantes do mundo, pode ir procurar. Porque esse alguém não sou eu. Na verdade, minha melhor maneira de falar tudo, é ficando em silêncio. Por isso, não se preocupe. Quando lhe digo isso, estou sendo sincera. Às vezes, tudo realmente pode dar errado e, eu não vou mentir, vai doer! Talvez doa tanto que nem eu consiga suportar tamanho sofrimento. Mas isso, é claro, não me preocupa. Porque estando com você, a ferida sara rápido. Você cicatrizará minhas dores e eu espero poder fazer isso por você também. Então, por favor, somente confie em mim.


Escrito por Letícia Lemos




Meus

Sábado , 10 de Julho às 15h49

O lho em volta e não enxergo mais toda aquela alegria que invade o ambiente, todo aquele barulho. Estou de férias. Deitada em minha cama, só consigo lembrar de tudo o que passamos juntos... As risadas fora de hora, os olhares significativos, os comentários desnecessários e o entendimento coletivo. Só vocês entendem por tudo que eu passo lá dentro... a expectativa de uma nota boa, a tensão antes das provas, a decepção de um esforço em vão. Em seus olhos me identifico, enxergo tudo aquilo que eu sinto, todo o meu apoio. É muito mais do que um simples coleguismo, uma coisa obrigatória. Estar com vocês é o que garante minha felicidade diária. Passo a maior parte do meu dia com vocês, e quando não estamos juntos, a saudade chega cedo. Porque são muito mais do que colegas, são amigos. Amigos de estudo, de cola, de farra, de rotina. Sim, são amigos de escola, aqueles que levarei para sempre na memória... mas mais importante ainda, os levarei no coração.


Escrito por Letícia Lemos




Apaixonados?

Quinta-feira , 08 de Julho às 14h26

E u queria poder entender o que é o amor. Sei que se trata de um sentimento, algo confuso e talvez sem qualquer explicação. Mas, não. Não é só isso. E quem dera se fosse, é claro.

O que eu realmente gostaria de poder entender é por que eu me sinto tão bem do seu lado. Como que você consegue fazer minha cabeça girar com apenas um sorriso, e o quanto eu espero, dia e noite, pelo momento em que você olhará fundo em meus olhos e dirá tudo aquilo que eu preciso ouvir da sua voz. E ao mesmo tempo, gostaria de entender por que é que a raiva sobe tão intensamente quando você faz algo errado, mas some logo em seguida, quando o vejo. É estranho, mas a verdade é que os apaixonados são estranhos. Talvez estranhos por fazerem loucuras, por passarem o tempo todo lembrando de momentos bobos. Mas o que realmente seria estranho é se não existissem apaixonados. Pois, querendo ou não, sempre vemos o mundo mais bonito, quando estamos apaixonados. O céu se torna mais azul. Enxergamos felicidade em pouca coisa e, se isso não acontecesse, o mundo seria uma praga. Mais praga do que já é, mesmo com apaixonados. Deve ser por isso que eu não evito. Quer dizer: é lógico que, mesmo se eu quisesse, não conseguiria evitar. Mas de qualquer jeito, não tento. O amor é um sentimento louco, capaz de provocar diversas reações, sejam elas positivas ou não. E mesmo que, no final, alguém saia sofrendo, não podemos deixar de dizer que tratou-se de uma experiência. Já cheguei a falar que é de experiências que se vive? Aprendemos com o que fazemos, é assim que se amadurece.


Escrito por Letícia Lemos




Poema

Terça-feira , 06 de Julho às 15h36

Tenho amigos que não se acham bonitos

Isso eu não entendo!

Para mim, são todos lindos

É isso que eu estou vendo

 

Talvez eu veja o que ninguém vê

Talvez só queiram impressionar

Mas a verdade é que todo ser

Deve se valorizar

 

Quer saber, então?

Vou lhe dar um conselho

Acredite mais em mim

E menos no espelho

(Letícia Lemos) / :D


Escrito por Letícia Lemos




Amigos

às 14h26

A lguém que fica feliz quando você está feliz e que não cansa de dizer, o tempo todo, o quanto você é maravilhosa. Alguém que te ama incondicionalmente e se alegra com suas conquistas. Uma pessoa que respeita seus limites, intimidades e gostos, independente de qualquer coisa. Alguém que aceita seus defeitos, que não te julga e nem critica, mas te ajuda sempre a melhorar e te incentiva a realizar seus sonhos. Uma pessoa que quer te ajudar a superar seus medos e inseguranças, ao mesmo tempo que tenta se encontrar também. Aquela que se diverte com qualquer bobagem que você diz e se identifica com suas opiniões. Uma pessoa que faz o possível e o impossível para te ver sempre feliz, e te dá bronca quando você insiste em fazer algo que, no fim, vai te fazer mal. Alguém que, como qualquer outro, também comete erros. Mas não é por mal, e por isso você deve analisar os fatos. Uma pessoa que te defende em público, sem vergonha ou medo, e te tira sempre das confusões. Ou, quem sabe, entra nelas com você. Antes de tudo, é uma pessoa maravilhosa que quer estar sempre do seu lado, independente do momento. Que está ali pra qualquer coisa que você precisar, pra te fazer pensar, pra te divertir ou simplesmente pra falar besteira. Alguém que te aceita do jeito que você é, nada mais. E talvez essa pessoa não consiga explicar o por que de te amar tanto. Mas, afinal, amizade não se explica. Ela simplesmente existe.


Escrito por Letícia Lemos




E u adorava seus olhos profundos, seu sorriso apaixonante e o modo como mexia no cabelo para tirá-lo dos olhos. Tudo nele me encantava. Queria poder dizer o quanto me senti mal quando ele se foi, no verão passado e o quanto eu me senti realizada quando ele disse que estaria de volta em pouco tempo. Queria lhe contar dos sonhos que toda noite eu tinha com ele, rir de todas as loucuras que eu já fiz para tê-lo por perto, abraçá-lo a todo momento. Queria revelar à ele todo o ciúme que eu sentia quando ele falava de outras garotas ou até mesmo as abraçava com carinho. Queria poder ter lhe confortado, dizendo que mesmo se nossa história não tivesse um final feliz, me bastava ter ele por perto naqueles momentos. Queria ter aproveitado melhor o tempo que passei com ele, andando juntos na calçada, sentados na praia. Queria ter lhe agarrado a mão quando menos esperasse, ou lhe dado um beijo inesquecível. Eu queria poder dizer a ele tudo o que eu sentia, mas eu sabia que isso já não seria possível. As lágrimas escorriam por meu rosto em tamanha intensidade, que minha voz saía em soluços inaudíveis. A tristeza que me invadia naquele momento não era simples ou muito menos desnecessária. Mas eu tinha certeza de que não precisava dizer mais nada: ele já havia entendido, é claro. Com um sorriso triste nos lábios, ele acenava de longe, deixando a mostra a reluzente aliança em seu dedo, que significava o fim de todos os meus sonhos."


Escrito por Letícia Lemos




O Fim

às 14h51

R epostagem do meu antigo blog.

Pode parecer besteira pra quem nunca sofreu desse tipo de coisa. Mas a verdade é que o fim de um relacionamento dói muito. É como um pedaço de vidro em seu coração, insistindo em rasgá-lo. A única coisa que queremos é chorar, nos acabar em lágrimas frias. O mundo parece ter perdido o valor, o Sol parece ter perdido o brilho e a vida parece ter perdido o sentido. E o que realmente faz a dor se expandir, é o fato de sabermos que do outro lado, nosso ex-amor não está dando o mínimo de atenção para o fato. A realidade é que o término causa uma ferida que muitas vezes só pode ser curada com outro amor. Mas afinal, quem consegue pensar em outro amor quando se está sofrendo por um? Pode parecer o fim de tudo. Machuca saber que tudo que um casal passou junto acabou. Com palavras. Coisas tão pequenas que fazem um impacto em nossas vidas. Frases que são tão significativas que podem deixar pessoas doentes. O período pós-término é uma fase delicada, onde qualquer coisa nos afeta como um raio. Tentamos culpar a todos pelo que aconteceu, mas não podemos evitar que a culpa do término é do casal. Não importa o motivo, nem a ocasião. Às vezes temos que entender que nem tudo é como nós queremos, e que essa não será a primeira nem a última vez que vai acontecer algo contra nossa vontade. Temos que tentar nos adaptar ao mundo, à nossa realidade de cada dia, que nos faz entender que não somos mais tão crianças a ponto de achar que o mundo gira em torno de nós.


Escrito por Letícia Lemos




Ela

Sábado , 03 de Julho às 18h50

O  pronome pessoal "Ela" pode significar várias coisas, mas nesse caso vai descrever uma das pessoas mais importantes da minha vida. Nem de longe uma pessoa perfeita, embora maravilhosa do jeito que é.

Hoje, eu já não consigo me imaginar longe de você. Nossas brincadeiras, lombras e, inevitavelmente, brigas, que constroem e fortalecem nossa amizade cada vez mais. Pode-se dizer que não nos conhecemos há muito tempo. Afinal, na escola que você estuda desde bebê, eu entrei este ano. Porém, tudo que nos aconteceu até agora me fez pereber que eu não consigo mais viver longe de você. E, bem, você pode ser muito irritante ou o que for, mas ainda é incrível. Não consigo encontrar palavras que descrevam tudo aquilo que eu gostaria de dizer. Só quero que saiba que sou eternamente grata a você por entrar na minha vida, e gostaria de pedir para que dela nunca saísse. E eu sei que talvez não existam, de verdade, amizades que sejam para sempre (ou até existam, mas muito raras), então eu quero pedir que fique sempre do meu lado. Sempre enquanto puder, me completando do modo que só você consegue fazer. Te agradeço por tudo que tem feito por mim, e ainda sei que fará muito mais, sendo essa pessoa linda que você é. Linda mesmo. Por dentro e por fora, sendo você mesma.

Eu te amo muito! Minha e só minha, Carla Azevedo <3


Escrito por Letícia Lemos




Introdução

às 16h47

S ejam bem vindos ao Never say ' I love you '. Eu criei o blog com a intenção de publicar tudo o que vier à minha cabeça e ver se, quem sabe, sai alguma coisa que preste. O nome significa "nunca diga 'eu te amo'", mas eu o escolhi só por ter uma pronúncia bonita e não por algo mais dramático ou pessoal. Os textos foram todos de autoria minha e, caso tenha algum que não tenha sido feito por mim, levará os créditos. Fiquem à vontade para comentar, darem críticas (construtivas) e sugestões. Lembrando que tudo que está aqui não deverá ser retirado e nem publicado em outros lugares sem a devida autorização, além de não ser permitida a a cópia (seja ela total ou parcial).

grata


Escrito por Letícia Lemos




01/06/2012 a 30/06/2012
01/04/2012 a 30/04/2012
01/03/2012 a 31/03/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/01/2012 a 31/01/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/11/2011 a 30/11/2011
01/10/2011 a 31/10/2011
01/09/2011 a 30/09/2011
01/08/2011 a 31/08/2011
01/07/2011 a 31/07/2011
01/06/2011 a 30/06/2011
01/05/2011 a 31/05/2011
01/04/2011 a 30/04/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/02/2011 a 28/02/2011
01/12/2010 a 31/12/2010
01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010