Impossível

Segunda-feira , 30 de Agosto às 16h35

E  as tardes que eu passei chorando no travesseiro pareciam intermináveis. Não importa o quanto me distraíssem: tudo lembrava você. Conselho nenhum ia tirar a sua imagem da minha cabeça. E eu sei disso porque muitos tentaram. Sempre soube o que tinha que fazer: partir pra outra. Nunca pensei que fosse ser fácil, mas também não imaginei que seria dessa forma. Já me disseram que, enquanto eu sofria, você estava se divertindo. Não, queridos, isso não ia me fazer levantar da cama e ir pro shopping. Por que vocês pensaram que isso iria acontecer? E, como se fosse novidade, cada um tinha uma opinião diferente sobre o motivo de eu estar chorando. Me digam: por que é que vocês ficaram supondo coisas? Sabiam muito bem que era porque meu coração estava partido. Disseram, insistentemente, que iria passar. Mas eu não acreditava nisso. Na minha opinião, não iria. E mesmo se fosse, até lá eu sofreria tanto! Quanto tempo eu ainda teria que suportar? E mesmo quando eu tentava acreditar que não sentia mais nada, você vinha (seja em músicas ou filmes) e me lembrava do quanto era essencial em minha vida. Mas...e hoje? Hoje eu já não sinto isso. Não porque eu tenha te esquecido; um verdadeiro amor, a gente nunca esquece. Mas porque não te acho mais digno do meu sofrimento. Pode parecer clichê - que seja! - mas o tempo realmente passa, mesmo para as piores coisas. Mesmo pra mim. A gente sempre pensa que é impossível, mas nunca é. Só quando esquecemos é que nos damos conta disso.


Escrito por Letícia Lemos




Raio-X

Segunda-feira , 23 de Agosto às 18h42

T alvez eu não me encaixe no seu estereótipo de beleza e, sem dúvida alguma, meu corpo não é o mais desejado. Meu cabelo nem de longe fica do jeito que eu quero e minhas roupas, preciso verificar, acho que não estão na última moda. Mas eu sou uma pessoa boa. Eu sei que você nunca ligou pra isso, mas eu realmente sou. Sempre tento destacar minhas qualidades, mas evidentemente você não liga para elas. Talvez, só talvez, porque você não enxerga nada além o que vê por fora. Não te culpo por isso, embora devesse. Eu só queria que você pudesse se aprofundar mais, tentar olhar além do físico. Prometo que se você tentar, não vai se arrepender! Mas eu sei que você não vai fazer isso. Sei que lá fora existem garotas excepcionalmente bonitas, elegantes e que, como se fosse novidade, são apaixonadas por você. É desse tipo de garota que você gosta, não é? Eu sei. Por mais que eu veja por aí que o amor é quem muda as pessoas, vejo que sou eu quem terei que mudar para conseguir, no mínimo, sua atenção. Eu não quero isso. De fato, desejo que você me veja mais do que como uma garota tosca que te ama...Simplesmente quero que me veja! Me veja não só pelo que eu visto, mas pelo que eu faço e pelo que eu sinto. É demais para você? Entendo que seja. Sei que vai demorar para que isso aconteça (ou talvez sequer ocorra!), mas irei esperar. Porque mentir ou mudar só vai me fazer algo que não sou. Mas, se você um dia abandonar seus conceitos e quiser saber o que eu tenho por dentro, verá apenas meu coração... Agora, despedaçado.


Escrito por Letícia Lemos




time is up

Terça-feira , 17 de Agosto às 18h30

C ada vez que seus olhos se encontravam com os meus, eu tremia. Era certo que você esperava uma resposta. Um "sim" estava entalado em minha garganta, mas eu não queria deixá-lo sair. Eu nunca havia sofrido tanto quanto sofri naquela manhã em que você me deixou, sem ligar para mais nada. Na manhã em que tudo que havia entre nós foi destruído como um cristal desabando ao chão. Tanto tempo havia se passado depois disso - semanas? meses? - mas eu nunca esqueci de tudo que passei ao seu lado. Não foi porque eu queria sofrer mais! E, sim porque pensar em você me fazia tão bem quanto me fazia mal. Você compreende? É claro que não. E eu ficava atônita, contando os minutos e verificando, em vão, o celular a todo momento, na esperança de que houvesse uma ligação sua. Porque, por mais que tudo esteja realmente acabado, a gente nunca quer acreditar nisso. Mas tudo bem, não fique assim. No fundo, a culpa por eu ter sofrido é toda minha. Você pode até ter sido um idiota completo durante todo o tempo que ficávamos juntos, mas eu nunca reclamei disso. Então não vejo motivos para retomar tudo aquilo só porque acabou. Eu quero somente que você entenda que, se estou na dúvida quanto aceitar ou não seu pedido para voltarmos, não é porque eu não te amo. Mas sim porque quando você não estava comigo, o tempo passava e eu tinha certeza. Certeza de que queria ser feliz; certeza de que precisava de alguém pra me amar. Você. Mas não vou te ter tão cedo, entende? Jamais por falta de desejo. Mas é que querer nem sempre significa que estou preparada para isso. Paramos aqui.


Escrito por Letícia Lemos




Mãe

Segunda-feira , 09 de Agosto às 19h07

E  não importa o quanto eu diga, o quanto eu peça ou implore: nada irá mudar. Dentro de mim, uma bomba faz a contagem regressiva para explodir, mas eu a contenho. Não posso fazer isso. Sob o olhar incerto e frio da mulher à minha frente, que não demonstra sequer um pouco de remorso, mordo meus lábios. Tudo dentro de mim anseia para que eu pule e agarre seu pescoço violentamente, mas é claro que não farei isso. Afinal, ela não tem culpa. Talvez tenha um pouco sim, mas eu a entendo. Porque pra mim pode ter passado uma eternidade, mas para ela eu ainda preciso estar debaixo de suas asas, ela precisa guiar todos os meus passos e não permitir que eu vá à lugares que não são adequados para mim, tudo em nome da minha segurança. Sei que deve ser difícil para ela ver que eu já não sou aquela criancinha que necessitava dela para fazer praticamente tudo. Sei que acompanhar meu crescimento é uma coisa emocionante, mas ao mesmo tempo triste. Saber que aqueles momentos em que tudo era decidido por ela não existem mais. O respeito e a obediência ainda existem, é claro. Mas já cresci o suficiente para saber o que é certo e o que é errado. Tenho juízo, acredite. Jamais faria algo que prejudicasse à mim (pelo menos não propositalmente). Mas não adianta crescer tanto se minha mente continua a mesma. Eu não sou mais aquela criancinha mimada que chora para conseguir tudo o que deseja. Não, eu não sou mais assim, e já entendi isso faz tempo. Então, minha expressão suaviza e a bomba que ameaçava estourar em meu peito se perde em algum lugar distante do meu corpo. Mãe, eu sou uma garota grande agora. Mas não se preocupe: eu ainda te amo. E isso vai ser para sempre.


Escrito por Letícia Lemos




Procura-se um coração

Sexta-feira , 06 de Agosto às 20h59

Texto publicado na revista Atrevida de Janeiro n°197

V ermelho, pulsante, fraco e perdido.

Ontem perdi meu coração. Ele pulou do meu peito e correu para longe. Eu tentei seguí-lo, mas ele foi mais rápido. Em pouco tempo, eu já havia o perdido de vista, mas estou buscando insistentemente por ele. É por isso que eu peço à você uma pequena ajuda. Se você encontrar meu coração, diga-lhe palavras bonitas. Não tente lhe agarrar assim, do nada, pois ele vai se assustar. Seja carinhoso que ele provavelmente irá até você sem qualquer esforço maior. Talvez ele esteja um pouco assustado, por isso lhe passe segurança. Se mesmo assim ele não vir até você, espere mais um pouco. É só uma questão de tempo. Se você encontar meu coração, diga-lhe que eu ainda tenho esperança de que as coisas voltem ao normal, mas que ele não precisa voltar se quiser. Não irei obrigá-lo a absolutamente nada. Se você o encontrar, por favor não o culpe. Ele só fugiu por não aguentar mais sofrer. Caso você o encontre, não finja que não o viu. Porque você não tem ideia do quanto dói ficar sem coração, com um vazio enorme dentro do peito. Um vazio que não pode ser preenchido por nada. Se você o encontrar e ele estiver com raiva de mim, não tente lhe convencer que sou inocente. Pois não sou. Eu o deixei ir... você acha isso certo? Diga-lhe que eu estarei esperando por ele, mesmo não sabendo se ele vai voltar. Se você o encontrar, por favor diga a ele para não entrar em desespero. Sei que não fui uma boa dona, então estou em busca de alguém que irá cuidar dele com carinho. Eu não achei ninguém até agora, mas não lhe diga isso, porque ele tem esperança. Eu confio em você, ok? Obrigada pela atenção.


Escrito por Letícia Lemos




Espera

Quarta-feira , 04 de Agosto às 16h13

E u olhava para a porta, esperando que ela se abrisse e revelasse ali a forma sorridente dele. Então eu correria em sua direção e lágrimas escorreriam de meus olhos, caindo sobre minhas bochechas loucamente. Eu lhe bateria no rosto com certo pesar, para logo em seguida desabar em seus braços, aliviada. Ele me abraçaria e ficaríamos naquilo por alguns minutos, para então nos largarmos. Eu olharia fundo em seus olhos, e ele também tentaria, em vão, olhar fundo nos meus. As lágrimas que escorriam deles o impediriam de ver algo além do meu misto de sentimentos. Ele então estenderia uma das mãos, revelando um bonito buquê de rosas, que comprara para pedir perdão à mim. Eu estaria sentindo muitas coisas, então não haveria de me importar com o fato de que, ao ver as rosas, as jogasse no chão sem qualquer ressentimento. Isso porque rosas, naquele momento, não bastariam. Eu precisava de muito mais. Precisava que ele me envolvesse em seus braços quentes e precisava tocar-lhe os lábios. Precisava, mais do que nunca, dele ali do meu lado. E não rosas. Ele, então, leria meus pensamentos e faria tudo aquilo que eu precisava que ele fizesse. Mesmo assim, eu estaria confusa e desesperada, perguntando loucamente o por quê dele ter ido embora quando eu mais precisava. "Isso não importa", responderia ele "eu voltei porque te amo". E, com isso, eu não precisaria ouvir mais nada. Eu confiaria em suas palavras como nunca confiei, e teria certeza que dessa vez ele não sairia do meu lado nunca mais. Seria exatamente daquele jeito, eu tinha certeza. Mas eu não podia esperar que aquilo fosse acontecer, pois não iria. Ele se foi. E não vai voltar.


Escrito por Letícia Lemos




Mudança

Segunda-feira , 02 de Agosto às 17h47

M eus planos mudaram, meus gostos e opiniões são diferentes agora. Meus desejos e sonhos aumentaram e agora estou indo muito mais além do que antes. Mas isso não te agrada. Você diz que não me reconhece, pois parece que tudo que digo e faço não vem de mim, ou melhor, não vem daquela pessoa por qual você se apaixonou há um tempo atrás. A vida é feita de mudanças e, sinto muito por você, mas elas acontecem o tempo todo. São inevitáveis, por isso nem tente fazer com que elas não ocorram. Uma hora você terá que aceitá-las, por que não agora? É muito fácil pôr defeito nos outros, mas nunca conseguimos enxergar o que tem que ser mudado dentro de nós. Você me julga como se eu tivesse me tornado um monstro horrível só porque não concordo com certos princípios seus que, antes, eu concordava. Não me lembro de estar quebrando nenhuma lei com isso, então devo dizer que não estou errado em nada que faço. Ou talvez eu esteja, mas isso não lhe diz respeito. Você também se modifica com o passar do tempo e, aliás, você se modificou muito de uns tempos para cá. Mas temos que nos adaptar com isso, nos acostumar e seguir em frente. É um enorme ciclo do qual eu e você fazemos parte. Eu sempre te apoiei em suas decisões e em momento algum questionei o fato de você ter mudado de opinião com relação à alguma coisa. O modo como você enxerga as coisas muda o tempo inteiro. O mundo muda o tempo inteiro! E isso não é pecado. Na verdade, é a coisa mais normal que poderia existir. Você diz que eu mudei...mas, não. Eu não mudei. Eu sempre fui assm. Você que nunca enxergou como eu realmente sou.


Escrito por Letícia Lemos




01/06/2012 a 30/06/2012
01/04/2012 a 30/04/2012
01/03/2012 a 31/03/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/01/2012 a 31/01/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/11/2011 a 30/11/2011
01/10/2011 a 31/10/2011
01/09/2011 a 30/09/2011
01/08/2011 a 31/08/2011
01/07/2011 a 31/07/2011
01/06/2011 a 30/06/2011
01/05/2011 a 31/05/2011
01/04/2011 a 30/04/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/02/2011 a 28/02/2011
01/12/2010 a 31/12/2010
01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010