Traição

Segunda-feira , 18 de Outubro às 20h17

 

Repostagem de um dos meus textos

 

A imagem que vejo refletida no vidro gelado me impressiona. Não... Ela me assusta. Passo as mãos em meu rosto, talvez certificando-me de que aquela realmente era eu. Para minha eterna decepção, era sim.

Meus olhos possuíam um brilho satisfeito, como se eu realmente me orgulhasse do que tivesse acontecido. Meu costumeiro rosto rosado tinha um tom pálido e assustado. Não era para menos, é claro, aquela não era eu.

As lampadas do quarto em que eu me encontrava estavam apagadas, sendo ele iluminado apenas pela bruxuleante luz fraca da Lua. Olhei pela janela, na esperança de alguém vir me salvar daquele pesadelo, ou de simplesmente poder acordar e descobrir que tudo não passara de um sonho... mas é claro que isso não aconteceu.

Vozes ecoavam em minha mente de maneira perturbadora, como se eu revivesse o doloroso momento em que fizera a pior coisa da minha vida. Eu não podia suportar aquela visão, aquelas lembranças, aquela culpa. Sabia que tudo estava arruinado e eu já não tinha a menor esperança de que as coisas se revertessem. Eu havia errado, não tinha ninguém do meu lado e as lágrimas presas insistiam em cair devagar, ao invés de simplesmente derramarem-se rapidamente e acabar com minha agonia.

Meu coração, se é que eu ainda tinha um, batia agressivamente em meu peito e eu sentia que faltava muito pouco para ele explodir. Na verdade, seria melhor assim.

Pela primeira vez em muito tempo, eu preferi a morte. Tentei gritar, mas a voz não saía... Então eu desabei no chão, com a certeza de que meu reinado havia acabado e de que eu havia perdido o meu grande amor.


Escrito por Letícia Lemos




Máscara

Sexta-feira , 01 de Outubro às 17h53

D izem que o olhar pode mesmo dizer mais que mil palavras, embora agora eu não tenha certeza.

Meus olhos apenas entregam o falso, o que todos acham que é verdade. Distribuo sorrisos a todo momento, e as pessoas acreditam que isso seja sincero. É como uma máscara, que mostra aos outros aquilo que eu deveria estar sentindo.

Um 'eu' exterior sorri a todo momento, mas meu corpo inteiro chora. Até mesmo aqueles que julgam me conhecer muito bem são enganados pela máscara, mesmo que esta esteja tão mal colocada.

Canso ter que fingir estar sentindo o que não estou. Canso de ter que sorrir quando não tenho essa vontade. Mas parar agora não é a solução.

Às vezes, quando me perguntam se eu estou bem e eu afirmo que sim, tudo que eu queria era alguém que visse através das minhas palavras roucas e me abraçasse com um pesar sincero, por saber que não é isso que sinto. Não desejo que as pessoas passem a adivinhar coisas. Apenas que não achassem que eu estou sempre tão bem, porque não estou.

Quando minha máscara acaba escorregando um pouco, e parte da minha tristeza vem à tona, não quero que digam que eu mudei por não estar tão contente quanto todos os dias. Até as pessoas mais fortes passam por momentos ruins, em que tudo que precisam é sentir as lágrimas escorrendo pela pele, e o alívio momentâneo que essa ação causa.

Nunca pedi para que as pessoas permanecessem para sempre do meu lado, porque eu sei que o 'pra sempre' um dia acaba. Eu peço apenas que, enquanto elas estejam comigo, não digam coisas que possam me magoar mais do que já estou magoada. Pior do que ouvir que você mudou, é saber que isso pode mesmo ser verdade.


Escrito por Letícia Lemos




01/06/2012 a 30/06/2012
01/04/2012 a 30/04/2012
01/03/2012 a 31/03/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/01/2012 a 31/01/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/11/2011 a 30/11/2011
01/10/2011 a 31/10/2011
01/09/2011 a 30/09/2011
01/08/2011 a 31/08/2011
01/07/2011 a 31/07/2011
01/06/2011 a 30/06/2011
01/05/2011 a 31/05/2011
01/04/2011 a 30/04/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/02/2011 a 28/02/2011
01/12/2010 a 31/12/2010
01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010