Perdão

Segunda-feira , 29 de Novembro às 16h10

29/11: Passarei um tempo sem postar pra me dedicar à outras coisas. Deixo aqui um layout novo, ainda com alguns erros, e um texto que sabe-se lá até quando ficará em primeiro na página.

N ão me olhe assim. Você sabe muito bem o que fez, muito bem o motivo de tudo isso estar acontecendo. Sabe que toda minha raiva tem motivo, tudo aquilo que sinto agora tem razão. Você sabia que era errado, e mesmo assim em momento algum parou para pensar o que eu iria achar dessa sua atitude. Agora, com os mesmos lábios que tocou outra, vem me pedindo perdão.

Não, eu não posso fazer isso. Ainda que eu queira, com toda a minha alma, deixar tudo de lado e te abraçar, não o farei. Sou a pessoa que mais quer esbanjar um sorriso sincero contigo mais uma vez, mas isso já não é possível. Eu nunca quis que fosse assim.

A cena descrita não só por você, mas por todos os outros presentes, ainda não chega à minha mente. Não me culpe por isso. Sou ingênua demais para crer que esta pessoa, agora à minha frente, cometeu um ato tão desprezível.

Eu não quero ter que raciocinar com que pernas você teve coragem de chegar aqui, e muito menos com que palavras me contou a situação. Nada disso te torna mais homem diante de sua atitude.

E ainda que eu não queira pensar isso, a possibilidade de que tudo que você me disse fora em vão me vem à cabeça incansavelmente. Frases e citações sobre um amor jamais sentido.

Mas eu não poderia dizer que não te amo. Pois amo sim. Amo com todo o meu corpo, toda a minha mente, com toda batida de meu coração. E é uma pena que você não tenha valorizado tudo isso. Não deixei de te amar, mas ainda sim te quero bem longe daqui, independente do que pensem disso, independente do que seja certo. Só quero que vá embora e que não volte. Não tão cedo.

E, por favor, não me venha com mais um pedido de desculpas. Eu já ouvi o suficiente. Sei bem que muitas pessoas dizem que quem ama perdoa. Contudo, isso não significa que tem que ser sempre assim. Antes de te amar, eu amo a mim mesma.

 

 


Escrito por Letícia Lemos




Anônimos

Terça-feira , 16 de Novembro às 20h15

Olhe-me nos olhos, se conseguir

Diga tudo aquilo que está a me escrever

Infantilidade sua me agredir

Quando não me dá chances de responder


É realmente medo que você sente?

Medo de se indentificar?

Faça-me uma crítica decente

Mas na minha cara, se não estou a exagerar


Diga quem és, ainda não é tarde

Não deixe isso tão clichê

Torna-se infinitamente covarde

Ao ocultar quem realmente é você

(Letícia Lemos) :)


Escrito por Letícia Lemos




Dor

Quarta-feira , 03 de Novembro às 21h02

O  uço um barulho de vidro quebrando. Um barulho agudo e estrondoso, embora distante. Meu coração.

Os cacos caem vagarosamente, espalhando-se e cortando tudo em volta. A agonia percorre meu corpo como fogo, e tudo agora parece irrelevante.

A música continua a tocar alta e animada, mas eu não consigo ouvi-la. Várias pessoas estão à minha volta, dançando e se divertindo, provavelmente vivenciando uma noite alegre e maravilhosa. Embora pareça egocêntrico de minha parte, somente a ideia de outras pessoas estarem felizes neste momento me corrói a alma. Tanta gente do meu lado, mas eu nunca me senti tão sozinha... J

á não adianta mais bancar a forte. Porque não sou. Involuntariamente, lágrimas começam a escorrer de meus olhos e, pela primeira vez em muito tempo, não tentei segurá-las. Dor de cabeça; vontade incontrolável de gritar, ainda que ninguém possa ouvir. Sintomas de um coração partido.

Cada membro do meu corpo parece estar sendo violado. Tudo em mim dói. As risadas ao fundo parecem ser deboches à minha situação.

Sinto minha maquiagem borrar: algumas horas de vaidade jogadas fora. Mas nada daquilo parecia importar. Meu mundo, tudo aquilo que me construía e me mantinha viva, provara de uma vez por todas que eu já não fazia parte de sua vida. E, mesmo que eu já soubesse daquilo, em meu íntimo eu ainda tinha esperança de que as coisas voltassem a ser como antes. Do jeito que deveria ser. Do meu jeito.

Tudo que eu queria agora era sair correndo, ir embora. Para que ele sinta minha falta, saiba que me perdeu. Mas isso é mentira. Sempre serei dele.

Ele faz as coisas esperando que eu sinta em meu coração a consequencia de seus atos, só porque sabe que vou sentir. Como sou tola. Eu deveria saber que não importa quantas bocas eu beije: elas jamais vão preencher o vazio do meu coração.


Escrito por Letícia Lemos




01/06/2012 a 30/06/2012
01/04/2012 a 30/04/2012
01/03/2012 a 31/03/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/01/2012 a 31/01/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/11/2011 a 30/11/2011
01/10/2011 a 31/10/2011
01/09/2011 a 30/09/2011
01/08/2011 a 31/08/2011
01/07/2011 a 31/07/2011
01/06/2011 a 30/06/2011
01/05/2011 a 31/05/2011
01/04/2011 a 30/04/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/02/2011 a 28/02/2011
01/12/2010 a 31/12/2010
01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010