P or quanto tempo eu estive só? Por quanto tempo eu fiquei mal esperando que você voltasse? Por quanto tempo eu sofri por alguém que não valia à pena? Você contou quanto tempo? Eu não tive tempo pra contar. Eu estava chorando.  

Não chorei porque a pressão foi grande, não chorei porque sou emocionalmente frágil. Por que é que você assimila lágrimas à fragilidade? Por que é que você acha que sôo tão fraca quando abro meu coração para dizer essas coisas? Para mim, tem que ser mais forte do que muitos guerreiros para dizer o que realmente se passa por dentro. Porque é tão íntimo. E você fala, você se expõe. E você é forte por isso.

É isso que estou fazendo agora: me expondo. Mais ainda, estou admitindo. Admitindo um erro, porque é isso que devemos fazer. Você foi um parágrafo errado na minha história. Por isso, e não só por isso, eu desisti. Não desisti por não ter capacidade, tampouco por fraqueza. Fui forte enquanto isso me fez bem.

Já não vale mais à pena, por que valeria? Eu desisto de tudo agora. Do meu passado, do meu futuro; do que éramos e do que talvez fôssemos. Eu desisto de nós, ainda que eu saiba muito bem que ainda existe esperança nessa alma frustrada. Porque eu lembro muito bem. Você tinha dito "para sempre".


Escrito por Letícia Lemos




Distância

Segunda-feira , 07 de Fevereiro às 17h38

Para aqueles que sofrem com a distância, e não entendem como os outros, tão perto daquele que você deseja, não valorizam a risada ou o olhar deste. Sim, aquela risada que você gostaria de ouvir, aquele olhar com que você sonha todas as noites. Distância.

 

Um olhar, e este como brilha!

Não reconhecido em seu enorme valor

Guarda em si surpreendente maravilha

Como o bater leve das asas de um beija-flor

 

O que eu luto bravamente para obter

Foi lhe dado, sem precisares pedir

Tens de dia e até o anoitecer

Tudo aquilo que eu sempre quis

 

Tens os olhos, querido, e a presença

Tens o sorriso e a risada daquele que quero

Ages, porém, com tamanha indiferença!

Não sabe o quanto eu o desconsidero

 

Não entenderá meu sofrimento

Até que a distância separe-lhe da tua amada

Portanto, perdoe-me tamanho assanhamento

Sou somente uma pobre apaixonada

 

Quero a presença, hei de tê-la

Valorizando-a em seu imenso esplendor

E assim como no alto, o brilho de uma estrela

Brilharei em ti, meu amor 

(Letícia Lemos)


Escrito por Letícia Lemos




01/06/2012 a 30/06/2012
01/04/2012 a 30/04/2012
01/03/2012 a 31/03/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/01/2012 a 31/01/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/11/2011 a 30/11/2011
01/10/2011 a 31/10/2011
01/09/2011 a 30/09/2011
01/08/2011 a 31/08/2011
01/07/2011 a 31/07/2011
01/06/2011 a 30/06/2011
01/05/2011 a 31/05/2011
01/04/2011 a 30/04/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/02/2011 a 28/02/2011
01/12/2010 a 31/12/2010
01/11/2010 a 30/11/2010
01/10/2010 a 31/10/2010
01/09/2010 a 30/09/2010
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010